segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Dois poemas do Chacal

como é bom ser um camaleão

quando o sol está muito forte,
como é bom ser um camaleão
e ficar em cima de uma pedra espiando o mundo.
se sinto fome, pego um inseto qualquer
com minha língua comprida.
se o inimigo espreita, me finjo de pedra
verde, cinza ou marrom.
e, quando de tardinha o sol esfria,
dou um rolê por aí.

rápido e rasteiro

vai ter uma festa
que eu vou dançar
até o sapato pedir pra parar.

aí eu paro
tiro o sapato
e danço o resto da vida.

Belvedere, 2007, p. 353

2 comentários:

pazktrobdapdrohenedraridradoquem disse...

Não é a toa que é Chacal !!! =)

Anônimo disse...

mia banbina cheguei do corujaõ...es minha idola te amo ....amo as tuas flores e tudo que tu fazes tienes una alma perfecta...mi docito....mi ciquitita....mi amorzito.....asta la vista.....