sábado, 28 de fevereiro de 2009

Olha-me, logo existo. luliX pandaglia


Olhos para ver, ler, apreciar, existir, viver e sonhar...

fotos luliX pandaglia 2008/09

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

O silêncio e a comunicação

No silêncio podemos encontrar muitas formas de comunicação. Quando nós calamos a mente, abrimos caminho para sentir o corpo, para ouvir novos e nossos sons. A nossa respiração muitas vezes passa completamente despercebida. Não notamos se estamos ofegantes ou suaves. Não escutamos as batidas do nosso coração. E mesmos os sons externos. Quantos sons passam despercebidos?
O “trânsito” da mente, que tudo pergunta e tudo quer saber, bloqueia muitas percepções, comunicações. Por quê precisamos de referências tão concretas para determinarmos o sentido de todas as coisas? A mente criou esses conceitos, confusões, fantasmas e aberrações. Cristalizamos uma forma de ver, sentir e agir. Perdemos o olhar infantil, do novo. Com simplicidade e humildade diante da nossa ignorância, podemos ampliar nossas possibilidades. Escutar o silêncio.
Por várias razões, nós só ouvimos aquilo que nos interessa. Perdemos inúmeras oportunidades de entrarmos em contato com novas mensagens, que são fundamentais para compreensão de nós mesmos e do mundo a nossa volta.
Como é difícil ficar, estar em silêncio. Será o medo da solidão? Da morte? Do vazio e da inexistência de todas as coisas? Será que o silêncio é a ausência total ?
O silêncio é comunicação. Um simples olhar pode nos revelar muitas coisas, e no entanto, não abrimos a boca. Quando paramos um minuto e ouvimos o nosso coração, quantas coisas ele nos mostra sobre nós mesmos e como nos relacionamos com o mundo .
A ansiedade é um dos fatores responsáveis por esse barulho mental. As vezes nem sabemos por que estamos ansiosos . A necessidade de falar e de ser eficiente, cria verdadeiras camadas de proteção que nos insensibilizam. Acabamos anestesiados e viciados. O espaço para o inesperado é praticamente inadmissível, porque ficamos presos e acomodados ao conhecido.
Se nos abrirmos para essa outra forma de comunicação, quantas revelações poderão surgir? Quantas novidades! Esclarecimentos poderiam acontecer, inspirações poderiam brotar! E quem sabe, mais felizes e integrados nós poderíamos estar!
O ser fica condicionado, mecanizado. Não ouve e não escuta com o seu próprio ouvido. Escuta muitas vezes com o ouvido do outro, da família, da sociedade. Perdemos de vista a nossa própria escuta. Ouvir o silêncio, é abrir caminho para o nosso amadurecimento e crescimento. Para a possibilidade de nos dimensionarmos melhor no universo, criando assim um mundo mais harmonioso e cheio de possibilidades: um mundo criativo.
O ser criativo é ser gerador contínuo de novidades, compreensões, erros e soluções. Ele sempre vai em busca de uma nova forma de interagir com a vida, tornando- a mais prazerosa e única a sua existência.

Luciana Dau 1999

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Falar é fácil... de Theodora Speranza




Vc olhou nos meus olhos,


segurou minhas mãos


e


me disse EU TE AMO.


Nos beijamos deliciosamente,


e agora finge que eu não existo.


Insisto e desisto.


O próximo, por favor!!!


Theodora Speranza 2009

Saudações carnavalescas. Mamma Giuly e João Luíz.

foto luliX pandaglia 2009

1 instante carnavalesco. luliX pandaglia e Freddy Ribeiro na terça gorda no Corujão

foto Júlio Pereira 2009

Bom Dia Drummond...


fotos luliX pandaglia 2009

Experimentos da Série Flores Urbanas - para o João Luíz...









fotos luliX pandaglia 2009

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009